PANELAS: A MENTIRA COMO POLÍTICA DE GOVERNO

Escrevi sobre as mentiras como política de governo, salvo em gano, em 2014 quando provei que o desgoverno municipal tinha mentido sobre o pr...

Escrevi sobre as mentiras como política de governo, salvo em gano, em 2014 quando provei que o desgoverno municipal tinha mentido sobre o próprio Plano de Governo. O artigo do referido texto foi intitulado “mentiras documentadas”. Como na época a questão era bastante complexa poucos tiveram interesse em analisar o fato. Desta vez a digestão municipal resolveu escancarar e publicou a mentira no Diário Oficial dos Municípios e secretários ou diretores mentiram também sobre um processo Judicial Eleitoral.

Que a governanta já é uma mentira em si mesma, isso nem mesmo ela nega. “Pode me chamar de laranja, banana, salada mista; eu não quero saber” – disse a governanta da nossa cidade. O resto nem precisou ninguém dizer, bastou o ex-prefeito, senhor Sérgio Miranda, ir à rádio agreste FM, rádio de Cupira líder em audiência, várias vezes se comportar como prefeito, falar como se prefeito fosse e até mesmo usurpar a função de secretário de governo numa reunião feita entre o Poder Executivo, o Legislativo e o Sindicato dos Servidores Municipais. Uma mentira aqui, uma mentirinha ali, uma grande mentira lá; tudo conforme já sabíamos e até esperávamos: mentiras sobre a previdência, a situação econômica da prefeitura (“Panelas tem mais dinheiro que Caruaru”), a administração, o desenvolvimento etc. O que ninguém esperava era que mentissem também sobre o clima.

As mentiras começaram com dois conhecidos funcionários. O senhor Ubirajara Sá, popularmente conhecido como Neca, que numa conversa gravada comigo aparentemente nem sabia onde trabalhava, havia publicado em suas redes sociais que o festival de lives promovido pela prefeitura não havia acontecido por causa de uma denúncia da oposição. Questionei “quem da oposição” teria feito, já que em Panelas quem inventou esse negócio de Festival de Lives foi Pedro Lima, atual presidente do Movimento Cultural, tido como de oposição. Não faria sentido denunciar algo que para a oposição além de não haver ilegalidade, era o que queríamos meses antes da prefeitura “ter a ideia”. O fato é que Neca havia mentido, a sentença não foi prolatada por força de denúncia da oposição, mas por outro motivo.



Não demorou para outro funcionário, Thiago Wesley, que apesar de responder a um inquérito por aliciar um menor, continua à frente da coordenação o Núcleo Jovem, decidiu fazer sua contribuição com a mentira de que alguém da oposição entrou com uma ação para impedir a live dos artistas.

 O resultado não demorou para vir à luz; a sentença foi publicada e a verdade apareceu: não foi ninguém da oposição que fez alguma coisa para impedir a live dos artistas, mas a própria prefeitura que pediu um parecer a justiça eleitoral, e sinceramente; a forma como organizou deixou claro para qualquer um que intenda o mínimo de direito que a intenção era não fazer mesmo. Se você, caro leitor, acha que não pode piorar é bom esperar, pois piora mais ainda. Mentir sobre a live dos artistas e seu impedimento foi pouco.

Este ano foi um ano de muita chuva, inclusive, vários alagamentos nas estradas de todo município. Por onde se andava Cocão, Brejinho, Jundiá, Bola, Malhada de Areia, Lagoa do Mato, Caninana enfim, todos os lugares do município foram atingidos pelas chuvas fortes. Sempre que reclamávamos das condições da estrada diziam: “choveu muito, é assim mesmo”. Até aí tudo bem, já que as estradas do município são parte do projeto “estrada sonrisal: dissolve na água”. O que não se esperava era que a própria prefeitura que alegava condições ruins das vias do município decretasse estado de emergência por falta de chuva. Aí é demais! É um insulto ao povo! Não é somente uma forma de burlar a lei, mas de ofender a população e sua inteligência. Escassez de chuva este ano? Em que mundo o desgoverno municipal vive?

Infelizmente a prefeitura e seus funcionários não se comportam como governo, mas como oposição da oposição. O que foi dito aqui foi baseado nas postagens dos próprios funcionários, de inquérito civil, sentença judicial e publicação em Diário Oficial. Nada foi inventado. Quando os sergianistas tentam “contra-atacar” precisam criar factoides para ofender pessoas em vez de argumentos. Criam fakes até sobre ações judiciais, sobre o clima e sobre, inclusive, quem governa. Inventam fakes também sobre quem faz oposição, creio que saibam que isso é crime. Já há um dos que estão na cúpula indiciado por injúria contra mim. Para os que querem continuar atacando o homem em vez dos argumentos, espero que estejam dispostos a enfrentar as consequências por uns dez anos no judiciário porque eu estou disposto a frequentar o judiciário por mais cinquenta.


Coluna Política // Por Pierre Logan

Advogado, Bacharel em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Formado em Filosofia, é licenciado pela Universidade Cruzeiro do Sul, Pós-graduando em Direito Processual Civil pela Escola Paulista de Direito. Filósofo. Membro do Seminário de Filosofia de Olavo de Carvalho. 

Contato: 
pierreloganoficial@gmail.com