PANELAS FRACASSARÁ?

Certamente o sentimento de mudança toma conta da população. Onde se anda, inclusive em lugares cuja prefeita já passou, é que não se admite ...


Certamente o sentimento de mudança toma conta da população. Onde se anda, inclusive em lugares cuja prefeita já passou, é que não se admite mesmo a forma arbitrária e desgovernada com que o município é digerido. A utilização da máquina pública para fins distintos do interesse público é algo escancaradamente ridículo. Há, ninguém nega, a forma vergonhosa e veemente com que muitos apoiam o projeto criminoso de perpetuação no poder encabeçado pelo déspota coronelista que nunca conheceu outra forma de ganhar a vida. Não tenho dúvidas de que a campanha deste ano será o sepultamento político de muitos nomes, especialmente daqueles que já provaram que sempre estiveram do lado da situação, fingindo ser de oposição, enganando o povo sofrido que morreu lutando e brigando pela mudança.

Já escrevi em outro texto que ninguém jamais me convencerá de que Rildo de Mano não se vendeu já na última campanha (2016), entregando o grupo todo nas mãos do ex-prefeito de Panelas. Lourinho, Ruben e Genilson tem conversado sobre a composição da chapa oposicionista e as possibilidades futuras. Não sei o teor das conversas, estou há tempos fazendo oposição cidadã, sem participar de política partidária, e sempre que olhei para o lado não tive o prazer de ter a presença de Lourinho, não é um sentimento somente meu, foi também de um companheiro de luta que já não está mais entre nós, o saudoso professor Arnóbio.

Há muito tempo deixei de contar com Lourinho, mas Genilson Lucena, presidente da Câmara, melhor presidente da história – anote-se, sugeriu que não o atacasse, pois sua história, querendo ou não, é de luta histórica contra o desgoverno sergianista. Se nota que a ideia de luta de Genilson e Lourinho é diferente da minha. Considero luta lutar, candidatura não é luta, é candidatura, mas decidi, por amor ao debate, ser prudente, compreensivo e descobri que isso cansa quando começa a ofender nossa inteligência. Ruben e Genilson afirmam: confie em Lourinho, ele está conosco e, na sua humildade cristã e vontade de vencer sabe o que deverá fazer para libertar Panelas. Isso é o que eles afirmam; o que eu penso (e tenho direito de pensar, já que tenho um cérebro que funciona) é diferente.

A presunção de inocência é algo fundamental tanto em relação ao direito quanto a convivência humana. Apesar de desconfiar do Ribaldo de São Lázaro, esperei que o mesmo se pronunciasse para anotar no livo do “não-esquecimento” e colocar na lista dos que jamais pretendo apertar a mão novamente. Com Lourinho penso nas seguintes hipóteses que são mais lógicas do que política:

1) Lourinho se junta ao atual grupo que verdadeiramente vem fazendo oposição, fazendo concessões como todos estão fazendo e prova que seu interesse maior é a liberdade do povo panelense, enquanto dá o que o ex-prefeito está merecendo há anos: uma derrota estrondosa.

2) Lança uma terceira via, sem chance nenhuma de vencer, e mesmo não estando do lado do ex-prefeito trabalha a serviço dele, atrapalhando os que verdadeiramente estão lutando para retirar esse déspota do poder e prova de uma vez por todas que sempre esteve participando de uma farsa para dar uma falsa aparência de democracia ao sistema eleitoral panelense.

3) Se une de uma vez ao ex-prefeito e confirma de uma forma mais descarada o ponto anterior.

Eu tenho minha opinião, porém, pensando em todos os que morreram querendo uma cidade livre do tirano que continua controlando a manada, quero, pelo menos desta vez, estar errado. Quero poder olhar nos olhos do Lourinho e dizer: “eu errei ao seu respeito, me perdoe, pois você é um grande homem”. Não quero olhar para os olhos dos cidadãos, grande parte arrependida, e dizer que a fome pelo poder, a ganância venceram princípios valorosos. Isso, confesso, mataria até mesmo em mim a confiança que ando tentando exercitar. Todos fizeram concessões, está na hora de Lourinho também fazer a dele. Quero sair da política o mais rápido possível e conto com a colaboração de Lourinho, assim como estou disposto a ajudá-lo a continuar nela. O cemitério das carreiras políticas está com muitas covas abertas.


Coluna Política // Por Pierre Logan
Advogado, Bacharel em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Formado em Filosofia, é licenciado pela Universidade Cruzeiro do Sul, Pós-graduando em Direito Processual Civil pela Escola Paulista de Direito. Filósofo. Membro do Seminário de Filosofia de Olavo de Carvalho. 

Contato: 
pierreloganoficial@gmail.com