O MAL DA OPOSIÇÃO DE PANELAS

Que fique claro que vou tratar aqui de duas oposições. A oposição que sempre é eleita, representada atualmente pela prefeita eleita e...



Que fique claro que vou tratar aqui de duas oposições. A oposição que sempre é eleita, representada atualmente pela prefeita eleita e pelo prefeito de fato e a “oposição” que sempre perde, geralmente representada por Lourinho. O sergianismo é oposição porque objeta o desenvolvimento dos panelenses. Em mais de uma vez o ex-prefeito já se manifestou menosprezando o povo de Panelas e mesmo que com suas palavras ele negue e tente se justificar, suas ações já dizem tudo. Panelas foi chamada de carente no início do seu primeiro governo e hoje, depois de mais de vinte anos, ele continua chamando de carente. Ele, por sua vez, está bem mais rico do que quando chegou. Já Lourinho é chamado de “oposição” por força do hábito. Só apareceu até hoje para dar o nome em campanhas eletivas. Fora de eleição não aparece e nem contraria o governo (conceito de oposição em política), pelo menos não publicamente.

Quando analisamos o oponente, uma criatura completamente idiotizada, infantil, prepotente e obtusa ao extremo, ficamos nos perguntando: “como alguém pode ter perdido tanto para um indivíduo tão medíocre?”. Depois de analisar quem perdeu, descobrimos de primeira olhada.

A “oposição” não defende nenhuma ideia. Não duvido que logo irá aparecer copiando as pautas do Movimento Cultural, mas, se for para o bem do município, pode copiar. O grande problema da “oposição” é que tem muito cientista político que nunca construiu nada dizendo como construir as coisas. Muita gente que nunca conquistou nada na vida, dizendo exatamente como conquistar alguma coisa. Esse é o principal problema.

Enquanto o secretário de desgoverno corre atrás da vitória como um animal esfomeado buscando, para ontem, a manutenção do seu único meio de vida, a “oposição” parece que tem todo tempo do mundo. Nos bastidores o que você mais ouve é: “ainda é cedo”, “não é o momento”, “tudo em seu tempo” etc. A história está com uma forte tendência a se se repetir.

O desgoverno anda fazendo reunião toda semana, e tem como o único oponente um cidadão comum, que nem partido tem, usando as redes sociais e a inteligência que Deus deu, mas com bastante apoio popular. A “oposição” indo de casa em casa e até em enterros, fazendo aparições horrendas que mais atrapalham do que ajudam e, mesmo quando o grupo da situação se desmembra e perde dois importantes nomes, a “oposição” é a última a se manifestar.

Ouvimos com frequência “quem tem voto é Lourinho”, eu diria que Ruben Lima tem mais, tendo em vista que ele foi eleito e Lourinho não. Genilson Lucena também fez a lição de casa, pois venceu e teve bem mais votos do que precisava para ser eleito. O único derrotado é justamente o que não se manifestou pela união até agora.

Outro suposto argumento que ouvimos bastante é: “se a oposição não se unir, ela perde”. Ora, quando foi que a oposição se uniu e venceu? Que eu saiba nunca! Porque a união faz a força, mas só com força não se ganha guerra. É preciso estratégia, conhecimento, ideias, comando e, sobretudo, liderança. Coisas que faltam e muito na dita “oposição”. A ideia de união não é minha, estou mais para Leônidas de Esparta, do que para Temístocles de Atenas nesse caso, porém, para vencer o satanás eu topo abrir mão de minha ideia de terceira via, só exijo que Lourinho vá até a rádio e se manifeste favoravelmente ao grupo todo, que o grupo escolha alguém para liderar essa primeira parte do processo porque estão perdendo o tempo e a eleição.

A ideia é começar já o que deveria ter começado há tempos. Deixemos as ambições pessoais de lado e libertemos Panelas de uma vez por todas desse demônio que veio de fora e possuiu o corpo da sociedade panelense, que contaminou a população transformando boa parte em cúmplice. Porque depois não haverão de dizer que a terceira via surgiu para dividir, tendo em vista que não é possível dividir ou separar o que nunca se juntou. Caso não haja verdadeiramente uma união, com ações e não somente com palavras, seremos obrigados a criar uma terceira via e, curiosamente, a terceira lei de Newton, aquela conhecida como “ação e reação”.




Coluna Política // Por Pierre Logan
Advogado, Bacharel em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Formado em Filosofia, é licenciado pela Universidade Cruzeiro do Sul, Pós-graduando em Direito Processual Civil pela Escola Paulista de Direito. Filósofo. Membro do Seminário de Filosofia de Olavo de Carvalho, da comissão de prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil e  Jovem Advocacia de São Paulo. 

Contato: 
movimentoculturaloficial@gmail.com
pierreloganoficial@gmail.com









TRANSMISSÃO FESTIVAL SOLIDÁRIO TV PANELAS - MOVIMENTO CULTURAL

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Inscrição para participação no 47º Festival Nacional de Jericos (Online)

Abertas as inscrições para participação de cantores, interpretes, jóqueis de jericos, bem como no Concurso de Jericos Fantasiados. O Movimen... continuar

RECEBA ATUALIZAÇÕES