Impasse entre administração do município de Panelas e professores está longe do fim

A situação indefinida e o não pagamento dos precatórios que chegam a mais de R$ 10 milhões de reais que seriam destinados aos professores pela a prefeitura de Panelas está causando revolta, além dos professores estarem a mais de três anos sem receber nenhum reajuste, o último aprovado no ano passado e que começaria a valer a partir de janeiro desse ano, nunca foi pago aos professores.

E a prefeitura sequer elaborou o reajuste para o próximo ano. Esse já é o terceiro ano consecutivo sem os professores receberem o reajuste, somado a isso tem os precatórios que fazem parte de uma verba do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef) que é destinado aos municípios.

Diante do impasse, o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Panelas (Sismup), José Udemir Cordeiro convocou os professores para paralisarem as atividades na sexta-feira (22 de novembro).

O objetivo com isso, é mostrar a força dos professores e também a realização de um protesto em frente à prefeitura para cobrar os direitos, com camisetas pretas e com frase em alusão a luta dos professores, os profissionais pretendem se mobilizar.

O presidente do Sismup, José Udemir Cordeiro, acusou a gestão de perseguir os professores. O mesmo tem o apoio do presidente da Câmara, vereador Genilson Lucena e do vice-prefeito, Ruben Barbosa.

Em entrevista a rádio, acompanhado das professoras Karlinda Chaves e Maria da Penha, o presidente do sindicato solicitou aos professores e aos alunos que apoiassem seus professores nessa luta.

O secretário de governo e ex-prefeito do município, Sérgio Miranda, contra argumentou o discurso do Sismup e companhia, chamando de Opositores.

Sérgio Miranda, rebateu acusando o presidente do Sismup de tendencioso e de querer lançar candidaturas e disse sempre ter recebido o presidente e ouvido as reivindicações. O secretário também desafiou os professores a acompanhar o presidente do sindicato e fossem para essa mobilização, a prefeita de Panelas, Joelma Campos não se posicionou sobre as questões pautadas em entrevista à rádio.

Enquanto isso, Sérgio Miranda, trava uma batalha com o Sindicato e com a Câmara de Vereadores, mas, especialmente com o presidente Genilson Lucena, que acusa o ex-prefeito de fazer maquiagem as vésperas da eleição, tentando fazer obras e colocar os jovens no cabresto. “Sérgio Miranda cairá para nunca mais se levantar... o sindicato não está sozinho e a luta é pelos os professores”, disse Genilson.

Operação RESPEITO AO PROFESSOR - Eu apoio

BIOMETRIA ELEITORAL SITUAÇÃO EM PANELAS (PE)

Revisado:
17.108 eleitores

No facebook

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Barragem cheia, por que não chega água nas casas das pessoas?

O município de Panelas tem um problema crônico com a falta de abastecimento d’água. A cidade de Panelas fica localizada no agreste de...
continuar

RECEBA ATUALIZAÇÕES