VEREADOR DENIVAL, HIPOCRISIA OU ESTUPIDEZ?

Sempre que devo me reservo ao direito de não falar sobre o vereador Denival Melo (PSB), especialmente quando tenho críticas duras. Não que...

- Publicado em 07/01/2019 - Por Pierre Logan (Colunista)
A+ A-

Sempre que devo me reservo ao direito de não falar sobre o vereador Denival Melo (PSB), especialmente quando tenho críticas duras. Não que eu tenha algum tipo de dívida com ele ou coisas do gênero, mas por algum motivo que está além de minha capacidade de percepção. Eu gosto dele. Esse vereador nunca me tratou de uma forma diferente dos demais e nunca tivemos uma conversa particular. As duas conversas que tivemos estão gravadas em vídeo e publicadas na internet. Na primeira eu pergunto sobre o direito do cidadão se manifestar na tribuna (o direito de manifestação me havia sido negado pelo presidente da Câmara, na época Manuel Caboclo) e na segunda eu falo sobre o direito dos professores de Panelas. Em nenhuma das duas ele respondeu nada fora do comum. Se existe amor à primeira vista, deve existir respeito à primeira vista. Digo isso porque também não vejo um único motivo para respeitá-lo como vereador, mas confesso que vou para cara do desgraçado.



Cabe aqui lembrar que Denival Melo foi eleito pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN) em 2012 e foi reeleito vereador pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) com 1028 votos, ou 6.82% dos votos válidos. Foi, portanto, o quinto vereador mais votado do município em 2016. Sempre votando como o executivo queria, sempre aprovando Contas que o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco recomendava rejeição, sempre fazendo tudo conforme o imbecilismo panelense manda. Lembrando que imbecilismo é, em linhas gerais, a submissão entre os poderes.

Infelizmente esse vereador não tem colhões para cumprir sua missão como vereador. Por algum motivo, que é difícil de lotear (e de loteamento Denival entende), Denival aparenta ter medo de se colocar contra os desmandos do executivo do município de Panelas. Suas publicações recentes na rede social Facebook deixam claro que o discurso é de “compromisso com o povo”, mas a verdade é que o compromisso mesmo é com a digestão sergianista.

Lembremos que, além de mudar de partido por ordem de Sérgio, Denival acompanhou atual presidente da Câmara, Genilson Lucena (PSB), quando ele encabeçou um projeto para desassorear a barragem São Sebastião que deveria abastecer o Município e que todos os vereadores, inclusive Denival, aprovaram e subscreveram aquela atitude correta. A prefeita Joelma Duarte também assinou. “A usurpadora”, Sérgio Miranda, ainda pensando que era prefeito, apareceu com um parecer jurídico dizendo que a obra não poderia ser feita, porque as contas da prefeita poderiam ser rejeitadas, sendo que o próprio ex-prefeito nunca desassoreou a barragem e mesmo assim suas contas são sempre no sentido da rejeição. O que o correu foi que todos os vereadores sergianistas, inclusive Denival Melo, baixaram a cabeça, se acovardaram e passaram vergonha. Preferiram deixar o povo passando necessidade do que ir contra as ações nocivas e maquiavélicas do ex-prefeito Sérgio Miranda.

Agora o vereador posta fotos distribuindo água e dizendo que seu “compromisso é com o povo” quando na verdade isso não passa da retórica do assistencialismo. É óbvio. O governante não resolve o problema, ele faz o problema crescer, de modo que para ter água a população sempre precise dele para “resolver” aquela situação. É um modo de sempre mostrar que está prestando serviço. Pensemos bem, panelenses, se um vereador quer de fato resolver um problema de abastecimento de água, ele busca apoio, faz um projeto, corre atrás, busca aprovação, fiscaliza a execução, a aplicação dos recursos e pronto. O povo terá água nas torneiras, a população não precisa ser humilhada, o representante terá feito um excelente trabalho e o problema estará de fato resolvido. Quando o representante não quer, ele não faz nada disso e fica distribuindo água, a água acaba, ele coloca água, a água acaba, ele coloca água e assim mantem sempre a relação de dependência entre o povo e ele. Não passa daquela máxima de Maquiavel de fazer o mal de uma vez só e depois vir fazendo o bem e aos poucos.

Na época da “reforma” da barragem, apenas a título de exemplo, bastaria pegar outro parecer (parecer por parecer eu também tenho o meu) e discutir na Câmara, conversar com a população e, com todo respeito, mandar o ex-prefeito com síndrome de ditador para o inferno. É assim que se faz! É assim que se representa o povo. Não criando e mantendo uma relação de dependência.

Escrevi muito sobre a crise da água no município, antes mesmo de cancelarem o festival de Jericos de 2013, alegando falta d’água. Na época não poderiam criticar mais, como haviam criticado, Eduardo Campos, depois apoiaram Paulo Câmara e nunca criticavam ele (é proibido criticar político incompetente do mesmo grupo), agora podem apostar que vão criticar muito Paulo Câmara porque mudaram de lado. O problema é que mudar de lado não muda o passado e nem concerta problema, especialmente quando não se muda pela convicção de que se estava errado, mas para agradar outro incompetente. Paulo Câmara é, como eu sempre disse e os sergianistas diziam que eu estava errado, o culpado por parte do problema. O outro culpado é o ex-prefeito Sérgio Miranda e sua grei. Não é distribuindo água que se resolve o problema da crise hídrica, é resolvendo o problema da crise hídrica que se distribui água.

Como falei no início do texto, vou muito para cara do Denival Melo e chego até a concluir que gosto da pessoa dele, mas isso não faz com que eu deva agir com hipocrisia e dizer que ele faz um bom trabalho como vereador. Acredito que se ele quisesse poderia realmente representar a população e construir uma carreira política brilhante, mas para isso ele teria que ser contra muitos pontos que estruturam a ideologia sergianista como, por exemplo:

1 – Ter a humildade de aceitar que os técnicos do tribunal de contas sabem mais do ele, e rejeitar as contas do executivo quando o TCE fizer recomendações nesse sentido;

2 – Se opor ao sergianismo no que concerne a manutenção do assistencialismo da prefeitura e exigir a resolução urgente da crise hídrica do município;

3 – Cobrar a imediata entrega dos cargos dos aprovados no Concurso Público de 2018 e exigir ao presidente da Casa que tome medidas contra a prefeitura, pois no projeto da Câmara era previsto 1009 (mil e nove) cargos e não 419 (quatrocentos e dezenove);

Somente essas três medidas já seria o suficiente para sanear um bom mandato. Mas para isso seria preciso independência, coragem e compromisso com a população. Retroalimentar o ciclo de assistencialismo e assim manter o povo eternamente necessitado não é de bom alvitre para quem quer algum tipo de carreira política limpa. Se você pode acabar com a fome no mundo, não vá distribuir sopa para mendigo, especialmente, se você é um dos responsáveis por transformar o cidadão em mendigo. Essa é a lógica. A gente faz o que pode e enfrenta as consequências. São críticas sérias, meu caro Denival, mas todas com intuito de fazer Vossa Excelência cumprir o chamado, honrar seus votos e a confiança do povo. Não acho que Vossa Excelência se comporte dessa forma por hipocrisia ou por estupidez, mas por covardia. Espero que entenda meu posicionamento e saiba que eu admiro a pessoa e o vereador que o senhor pode ser e que, lamentavelmente, não está sendo.


Coluna Política // Por Pierre Logan

Advogado, Bacharel em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas. Pós-graduando em Direito Processual Civil pela Escola Paulista de Direito. Filósofo e licenciando em filosofia pela Universidade Cruzeiro do Sul. Membro do Seminário de Filosofia - Olavo de Carvalho e da Jovem Advocacia de São Paulo. Compositor, gravou no final de 2015 o disco Crônicas de Um Mundo Moderno. Atualmente também é comentarista político na Trianon AM 740 e colunista do Jornal SP em notícias. 

Contato: 
movimentoculturaloficial@gmail.com 
pierreloganoficial@gmail.com

Mais publicações sugeridas para você

Opinião 5615509917427094562

No facebook

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Quem fez o Enem 2018 já pode inscrever-se no Sisu 2019

Começam nesta terça-feira (22 de janeiro) as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e vão até as 23 horas e 59 minutos da s...
continuar

RECEBA ATUALIZAÇÕES