CALÇADA DA PREFEITURA FERE: INDENIZAÇÂO JÁ!


Sim, mais uma para a “prefeita” Joelma Duarte, o ex-prefeito Sérgio Miranda (doravante “o coisa”) ambos do PSB dizerem que é a penas a oposição colocando defeito nas ‘obras’ que eles fazem. Conversa mole não gera nenhuma evolução, muito pelo contrário; gera inércia. O fato da oposição dizer que sou contra eles e a atual digestão dizer que sou da oposição, significa que estou no caminho certo. Simplesmente passo de nível e elevo a voz do cidadão para uma etapa que a maioria da classe política municipal teme. O medo deles é fundado no fato de saberem que não faço críticas sem justificativa, não acuso sem provas e não falo sem transmitir conhecimento. Então, para fazer jus a essa linha, vamos explicar o fato antes de ir ao direito.

Como vocês sabem quase tudo o que a prefeitura de Panelas faz nos tempos do sergianismo é com misteriosos recursos próprios. Digo “misteriosos” porque de acordo com o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco a arrecadação do município é mínima e nossa cidade vive basicamente de esmolas do Governo Federal. Ainda assim sobra dinheiro para fazer tudo malfeito. O maior exemplo disso está na frente da própria prefeitura, alicerçando todos os malefícios provocados por quem paga boa sorte com má vontade. A calçada do “novo” prédio da prefeitura anda machucando pessoas e causando acidentes graves. Não é a primeira vez que reclamo da acessibilidade e da falta de capacidade dos nossos digestores. O que mostra que não adianta mudar o local e a aparência das estruturas das coisas se o ‘espírito’ da mediocridade continuar sendo eleito. Leia meu artigo “Prefeitura de Panelas, lei do acesso e desinformação” e verá que o problema não é de hoje.

A calçada da prefeitura não foi feita com material antiderrapante e isso fez com que várias pessoas sofressem acidentes e em alguns casos com ferimentos graves. Uma senhora caiu e machucou a perna um dia depois de outra pessoa ter caído exatamente no mesmo local.  Populares nos informaram que outras tantas derraparam e caíram naquele mesmo lugar e, apesar de terem procurado as “autoridades competentes” (que de competentes não têm nada), nada foi feito para resolver o problema. Será que estão esperando alguém fraturar o crânio, ou a coluna para resolver? Se alguém quebrar alguma coisa, será que vão dizer que é mera reclamação da oposição? Enfim, enquanto as pessoas responsáveis não tomam a responsabilidade para si, saiba que acidentes desse tipo podem dar direito a indenização.

O comportamento desidioso da digestora do executivo é contrário a ordem jurídica e causou danos a diversas pessoas que passaram naquele local, portanto, estamos claramente diante de um ato ilícito:

Art. 186 do Código Civil que diz: “Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”.

Sem falar que de acordo com a nossa Carta Magna em seu artigo 30, VIII diz que compete ao município: “promover, no que couber, adequado ordenamento territorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano”. Seja quem for que decidir pleitear um direito que é seu na justiça, saiba que vários tribunais do nosso país consideram a manutenção das calçadas (todas) e fiscalizações das vias e dos passeios públicos competência dos municípios.

Quanto a indenização, a Constituição Federal prevê no art. V, que se assegura o direito à “indenização por dano material, moral e à imagem”. A guarda do direito fundamental à indenização por dano material e moral vem regulamentada no art. 949 do Código Civil, o qual considera como ilícito a lesão à integridade física de alguém:

Art. 949 “No caso de lesão ou outra ofensa à saúde, o ofensor indenizará o ofendido das despesas do tratamento e dos lucros cessantes até o fim da convalescença, além de algum outro prejuízo que o ofendido prove haver sofrido”.

Tudo isso e olha que nem citei a lei da acessibilidade (novamente). Lamentavelmente temos que tomar uma atitude diante das muitas omissões cometidas por um executivo que acha que pode viver só de marketing e fotos nas redes sociais, como se um governo pudesse ser construído apenas através de uma postura midiática que ilude os menos atentos, confunde os mais necessitados e causa apenas tédio e revolta nos que entendem as verdadeiras raízes do problema. É preciso aprender que a lei existe e que depende de cada um que tem sofrido com o descumprimento delas adotar uma postura ativa e buscar o judiciário, pois essas coisas não devem escapar da apreciação do mesmo. Somente o judiciário pode resolver questões que atacam e ferem nossos direitos. Não basta se indignar, publicar, divulgar ou mostrar o quanto se está sofrendo. É preciso lutar contra esse tipo de atitude e buscar por vias judiciais a apreciação do fato e a garantia do direito. Penso que as pessoas deveriam pedir indenização, pois o único “órgão” sensível nesses calhordas politiqueiros é o bolso, ainda que não paguem com recursos próprios.

Veja o vídeo sobre o assunto, veja câmeras de segurança que filmaram pessoas caindo na calçada da prefeitura de Panelas e reflita sobre a questão, compartilhe com seus amigos e divulgue este site, pois ainda temos a voz e juntos podemos sacudir todo o sistema para modifica-lo a nosso favor. Assista: Clique aqui!

Coluna Política // Por Pierre Logan

Formando em Direito, Licenciando em filosofia, possui formação em Direito Eleitoral, Administrativo, Fundamentos do Direito Público, Ciência Política e Teoria Geral do Estado. Compositor, gravou no final de 2015 o disco Crônicas de Um Mundo Moderno. Atualmente atua na área jurídica e também é colunista do Jornal SP em notícias. 

Mais publicações sugeridas para você

Política 8260995423466179163

No facebook

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Erro Histórico do Município?

Se um povo que “não conhece sua história está condenado a repeti-la”, Panelas já repetiu muito sua história... Confira o vídeo basead...
continuar

Como passar em Concurso Público

Banner de divulgação Metodo EARA

RECEBA ATUALIZAÇÕES