Governador Eduardo Campos pede mais investimentos para Nordeste tirar atraso em relação ao Sul

O crescimento equilibrado do Brasil só pode se dar se for levado em conta que a questão nordestina é parte fundamental da questão brasileira...

Publicado em 09/12/2011
A+ A-
O crescimento equilibrado do Brasil só pode se dar se for levado em conta que a questão nordestina é parte fundamental da questão brasileira, e que o nordeste, em vez de ser problema como foi considerado por muito tempo, é parte essencial da solução do maior problema da sociedade brasileira, que é a desigualdade.


Este foi o motor da palestra que o governador Eduardo Campos pronunciou nesta terça-feira (06/12), em Salvador, no seminário Nordeste do Século 21, promovido pela Revista Carta Capital. Alem de Eduardo, o governador Cid Gomes (CE) e a economista Tânia Bacelar foram outros participantes do evento.
O governador pernambucano defendeu a necessidade de ser concretizada uma nova agenda para o nordeste, acrescentando que apesar de estar crescendo em ritmo e em intensidade superior à média brasileira, o atraso que marca a estrutura econômica do país só pode ser eliminado se houver uma mudança efetiva na dimensão dos investimentos feitos na região.
“O Banco do Nordeste, em estudo recente, mostrou que se o nordeste continuar crescendo um ponto percentual acima do Brasil precisará de 40 anos para chegar ao mesmo patamar de desenvolvimento do Centro Sul e nós não podemos esperar tanto tempo”, disse Eduardo.
Para ele, é preciso investir tanto em infraestrutura econômica quanto em infraestrutura social e pontuou a educação como caminho chave para o salto competitivo que a região precisa dar.
“Nos ainda temos um estoque de repetentes na população escolar e um acumulado de analfabetos que choca nossas consciências. Será preciso um esforço extraordinário de todos os entes federativos, mas principalmente da União Federal, para mudar esta realidade”, disse Eduardo, acentuando ainda a necessidade de um aumento significativo das oportunidades de qualificação profissional.
Eduardo disse ainda que todos os estados do Nordeste têm feito sua parte e citou avanços concretos conquistados em Pernambuco, como a multiplicação das matrículas em escolas técnicas – existiam cinco unidades; até 2014 serão 60 – e em escolas que oferecem ensino em tempo integral.
“Tínhamos 14 e agora caminhamos para ter 174 escolas nas quais os alunos permanecem o dia inteiro, em atividade escolar e posso testemunhar que isso faz uma enorme diferença, como as notas do ENEM têm demonstrado”, frisou.
O governador pediu ainda uma mudança no perfil do investimento privado na região, pedindo ao governador federal uma política tributária diferenciada. “Precisamos de indústrias que empreguem e paguem salários mais elevados, para aumentar a renda média da população. Mas, por enquanto, há uma forte concentração no centro sul. Veja, por exemplo, que quase toda a indústria automobilística está no sudeste”, lembrou.

Mais publicações sugeridas para você

Notícia 910561793004773617

No facebook

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Erro Histórico do Município?

Se um povo que “não conhece sua história está condenado a repeti-la”, Panelas já repetiu muito sua história... Confira o vídeo basead...
continuar

Como passar em Concurso Público

Banner de divulgação Metodo EARA

RECEBA ATUALIZAÇÕES