SAÚDE: plano de governo de Joelma Campos – Parte II

Publicado em 25/10/2016 | Da Redação Panelas Pernambuco
A+ A-
Seguindo os comentários sobre o plano de Governo da Prefeita eleita, Joelma Campos, chegamos na parte em que se trata as questões mais “gerenciais”, lembrando que, no total foram elencadas nove propostas no âmbito da saúde, onde dessas, já falamos sobre quatro. Nesse momento, falaremos de mais três:
  • CAPACITAÇÃO DAS EQUIPES DE EPIDEMIOLOGIA PARA MELHORAMENTO DAS NOTIFICAÇÕES DE AGRAVOS;
  • INTENSIFICAR AS AÇÕES DE INSPEÇÃO SANITÁRIA;
  • APRIMORAR O PROCESSO DE INFORMATIZAÇÃO DA SAÚDE.
Mas afinal, o que significam essas ações? Epidemiologia, notificações de agravos? Inspeção sanitária? Informatização da saúde? Calma... Vamos por parte!

Na primeira proposta, fala-se em capacitar “equipes de epidemiologia”. A epidemiologia nada mais é, em uma linguagem bem fácil para que possa entender, uma área/ciência que observa e estuda a disseminação e a causa de condições relacionadas a saúde de uma população específica, e a partir dessa observação, poder traçar ações para o controle dos problemas de saúde.

Assim como define o Guia de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, são funções da equipe de epidemiologia:
  • coleta de dados;
  • processamento de dados coletados;
  • análise e interpretação dos dados processados;
  • recomendação das medidas de controle apropriadas;
  • promoção das ações de controle indicadas;
  • avaliação da eficácia e efetividade das medidas adotadas;
  • divulgação de informações pertinentes.

Então, quando se fala em capacitar equipes de epidemiologia, entende-se como preparar as pessoas desse departamento para melhor poder exercer suas funções acima citadas.

Já no quesito: intensificar as ações de inspeção sanitária, refere-se à fiscalização de produtos, entidades, transporte e todos os meios que, se não adequado da forma correta as normas de “qualidade”, podem causar danos à saúde. Por exemplo, o transporte que leva os alimentos da merenda até as Escolas, têm que seguir um padrão para manter a qualidade dos produtos, bem como, a forma que essa merenda vai ser prepara e servida. Outro exemplo, temos a água de consumo, também tem que apresentar um nível de qualidade, e tudo isso, quem vai analisar se está dentro dos padrões ou não, é a vigilância Sanitária.

O campo de atuação da vigilância sanitária é muito amplo, diversos são os setores, ambientes e produtos em que requer fiscalização (controle de qualidade), para que possa garantir a saúde e bem-estar das pessoas, a seguir veremos mais detalhadamente onde há riscos à saúde que obviamente também são focos de fiscalizações (BRASIL, 2002):

RISCOS AMBIENTAIS: água (consumo e mananciais hídricos), esgoto, lixo (doméstico, industrial, hospitalar), vetores e transmissores de doenças (mosquitos, barbeiro, animais), poluição do ar, do solo e de recursos hídricos, transporte de produtos perigosos, etc.

RISCOS OCUPACIONAIS: processo de produção, substâncias, intensidades, ritmo e ambiente de trabalho;

RISCOS SOCIAIS: transporte, alimentos, substâncias psicoativas, violências, grupos vulneráveis, necessidades básicas insatisfeitas;

RISCOS IATROGÊNICOS: (decorrente de tratamento médico e uso de serviços de saúde) medicamentos, infecção hospitalar, sangue e hemoderivados, radiações ionizantes, tecnologias médico-sanitárias, procedimentos e serviços de saúde;

RISCOS INSTITUCIONAIS: creches, escolas, clubes, hotéis, motéis, portos, aeroportos, fronteiras, estações ferroviárias e rodoviárias, salão de beleza, saunas, etc. Com isso, concluímos que quanto melhor e eficaz a fiscalização da Vigilância Sanitária, mas segurança e qualidade de vida para a população.

A última proposta a ser discutida nesse artigo é a que fala em: “aprimorar o processo de informatização da saúde”. Nessa proposta, acredita-se que se refere ao e-SUS, que trata de um software, onde contém o prontuário eletrônico do paciente, uma ferramenta que ajuda na agilidade do atendimento, bem como, em outras funções (geração de relatórios, agenda ambulatorial, etc.) do Sistema Único de Saúde (SUS) como um todo. Mas, assim como nas propostas anteriores, não é nada novo, e sim um aperfeiçoamento.

No próximo artigo falaremos das duas últimas propostas elencadas no plano de governo de Joelma Campos, das quais, uma delas é de grande interesse da Vila de Cruzes, não deixem de acompanhar.

Janily AlvesColuna Saúde // por Janily Alves

Enfermeira graduada no Centro Universitário do Vale do Ipojuca (UNIFAVIP); Pós-Graduanda em Unidade de Terapia Intensiva com complementação em Urgência e Emergência.



Veja mais publicações sugeridas para você

Saúde 8435725853578974042

Postar um comentário

Os comentários ou recados neste site refletem tão somente a opinião do autor do mesmo. Seja ético e não publique spam.

emo-but-icon

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

AUMENTO DE TARIFAS: A conta de água vai ficar mais cara

A Compesa foi autorizada a reajustar as tarifas da conta de água. Os novos valores já passam a valer a partir do dia 20 de março. C...
continuar

Associado


RECEBA ATUALIZAÇÕES

Panelas Pernambuco Podcast

No facebook

Online agora