Lourinho: a volta do Macunaíma!

"Até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento."

Ai! que preguiça!... Não me leve a mal, caro leitor, gosto de ler e, como já havia dito; o Jornal A voz dos cabanos é uma excelente leitura, mas depois que o Lourinho arriscou convencer os leitores (ou eleitores) de que a verdade é o que ele diz e não o que as pessoas estão vendo, até o bicho-preguiça mais preguiçoso anda entediado. Toda vez que escrevo algo sobre Lourinho aparece um perfil fake para me chamar de prepotente, arrogante ou jactancioso. Não costumo falar com paredes nem replicar máscaras, por isso gostaria de lembrar as pessoas que estão por trás desse tipo de “esconderijo” que quem disse que sua vitória seria a “redenção desse município” e que nasceu sabendo (“conhecedor nato”), foi Lourinho e não eu. Pois é, com um único texto ele conseguiu detonar a imagem de “pessoa humilde” que tinha.

Todos sabem que por mais que algo seja ruim, há sempre alguém ruim o suficiente para piorar. É exatamente isso que você está pensando: Lourinho escreveu outra vez. Sobre o que uma coluna política fala? “Política!” – diria o aluno mais sonolento da sala. Sobre o que a coluna “saúde” fala? “Saúde!” – diria a aluna mais distraída. Sobre o que a coluna “esportes” fala? “Esportes!” – gritaria Damião Fuba, que passava mais bêbado do que nunca na frente da escola. Então, o professor pergunta: sobre o que uma coluna com o nome “Lourinho” fala? Lourinho? Isso mesmo, amigo leitor, a coluna dele leva o nome dele mesmo, entretanto, ele fala sobre... Também não entendi ainda.

Acreditava que “coluna do jornal” era um título ruim, mas ele conseguiu piorar e teve uma epifania; colocou o seguinte título em seu ultimo texto: “até quando os poderes ficarão conversando ‘água’?”. Ele tentou fazer uma alusão a inoperância do Executivo e do Legislativo com relação a crise hídrica vivida pela cidade, mas esqueceu que “poderes” são três (executivo, legislativo e judiciário). Só faltou ele pedir para o Judiciário panelense criar uma Súmula Vinculante. Ai! que preguiça!... Ou ele começou a escrever esse texto em 2013 (ano que a barragem São Sebastião secou por completa) ou decidiu falar do assunto somente agora que está chovendo como nunca (e a barragem está cheia). Parece até que está conversando água!

O bom é que ele finalmente assumiu que andou visitando as “fazendas” do atual gestor do município, já que disse: “garanto que nas suas fazendas não falta nada”. Garante? Tudo bem! Entendido o recado! Se ele garante quem sou eu, que nunca visitei as fazendas de Sérgio, para discutir. Lembram que falei sobre as abstrações que sempre estão presentes em suas falas? Então, ele tentou, mas o hábito faz o monge e não o contrário. Nunca houve “comentários de uma possível adutora”, caro Lourinho, o que houve foi uma “promessa de campanha” feita por Paulo Câmara (PSB) ao lado do prefeito de Panelas. Ele disse com todas as letras: “Em 2015 estarei aqui, como governador, inaugurando a adutora que trará água da barragem de Panelas II” (pior que a conclusão da obra de Panelas II está prevista para dois mil e vinte e lá vai conversa). No entanto, o grande líder da oposição acha que isso foi um mero “comentário” feito por um político em cima de um palanque. Isso explica muita coisa, não acham?!

Mas o Macunaíma consegue superar o Ministério de Minas e energia, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, pois citou fatos que divergem do estudo e conseguiu falar do assunto sem tocar no nome ou em qualquer informação que cruzasse com os dados expostos no Projeto de Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea, realizado em outubro de 2005 em Panelas. Eis o homem! Conhecedor nato, não de um, mas de “todos os problemas” do município, cuja vitória na próxima campanha (ou atual campanha) será a “redenção” de nosso povo. Como vocês podem ler em seus textos, ele é um cara muito humilde.

Sabe aquela máxima que diz que é melhor ficar calado e deixar que todos pensem que você é um idiota para não correr o risco de falar e acabar com a dúvida? Então, ninguém avisou isso a ele. Em sua entrevista na Rádio Bom Jesus FM, Lourinho disse que não deixará de ser candidato, não abrirá nem para um caminhão carregado de dinamite (exatamente essa expressão). Para quem diz gostar tanto de democracia ele anda muito seguro, esquecendo que se o grupo escolher outro ele terá que assumir o erro, caso contrário vai conviver mais uma vez com o fracasso. A bíblia avisou, ele só não leu porque provavelmente não lê: até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento (Provérbios 17:28).

Por Pierre Logan

Veja mais publicações sugeridas para você

Opinião 6898314902859998006

Postar um comentário

Os comentários ou recados neste site refletem tão somente a opinião do autor do mesmo. Seja ético e não publique spam.

emo-but-icon

Promoção

Promoção
“GANHE R$50 OFF” ou MAIS, não perca essa promoção!

PUBLICAÇÃO SUGERIDA

Fim da Zona Eleitoral de Panelas

Juiz Eleitoral de Panelas-PE comunica o encerramento da 49ª Zona Eleitoral do Estado de Pernambuco. O Excelentíssimo Senhor Juiz El...
continuar

Associado


RECEBA ATUALIZAÇÕES

No facebook

Online agora